Projeto de arquitetura

Como fazer um bom projeto de arquitetura?

Dicas para fazer um bom projeto de arquitetura!

Antes de mais nada, temos que ter em mente que todo projeto de arquitetura precisa de um bom planejamento para ser bem executado. Por isso, se faz necessário seguir alguns passos que serão fundamentais para a obra perfeita!

É importante saber que não importa em qual etapa se encontra o projeto. Se um detalhe for mal planejado, toda a construção poderá ser comprometida, levando assim a um maior tempo de execução, a aumento de custos e/ou até mesmo a que seu projeto de arquitetura precise ser refeito.

Por isso a palavra chave é faça um bom planejmaneto do projeto! Abaixo seguem algumas dicas para te ajudar com isso!

1) Conheça o terreno

O profissional responsável pelo projeto de arquitetura precisa conhecer bem o local da construção. Afinal, fica muito mais simples ter uma noção espacial, coletar medidas e, em muitos casos, criar uma imagem mental da construção já concluída.

2) Levantamento das necessidades da construção

Independente da finalidade do projeto, algumas perguntas precisam ser feitas e respondidas para que todas as necessidades sejam atendidas. Caso a construção seja de uma casa, por exemplo, é importante conversar com os futuros moradores para verificar a necessidade de cada um deles e também tenha em mente as necessidades do terreno para que o projeto possa ser implementado.

3) Pré-Projeto

Após o entendimento de todos os pontos que precisam estar no projeto de arquitetura, deve-se organizar todas as informações para que seja possível visualizar as ideias de forma mais clara. E é importante que isso seja feito antes que o projeto final seja posto em ação.

4) Croqui

Para que seu cliente ou até mesmo você possa ter uma ideia melhor do que o projeto vai se tornar, usamos os croquis. É uma forma de entender se a nossa ideia, o que está em nossas mentes, se alinha com as necessidades e claro, com a realidade.

Sem contar que os croquis facilitam e muito o entendimento de pessoas leigas. Um exemplo de bons croquis, são os feitos por Niemeyer, pessoas que sequer são arquitetas acabam fascinadas.

5) Planta, corte ou 3D?

Depois da aprovação para que o projeto continue. Entra em cena uma parte mais detalhada dos desenhos que podem ser feitos, dependendo do caso em planta baixa, corte e/ou em 3D.

Começar pela planta é natural até para quem não é arquiteto. Muitas pessoas leigas ao planejarem suas casas acabam recorrendo a essa opção com forma de organizar os espaços dentro de um espaço maior.

Desde cedo somos expostos a esse tipo de visão, sendo pelos mapas dos jogos ou até alguns desenhos que muitos usavam para brincar, quando crianças.

Porém, fazer uso da planta somente, pode trazer alguns problemas por causa da falta de noção 3D que teremos.

Alguns arquitetos tem certa facilidade para ver uma planta levando-se em conta pés-direitos, volumes complexos e muitos outros detalhes. Exemplo disso é do arquiteto Mies que tinha uma incrível capacidade de fazer croquis de forma quase abstrata porém com uma fidelidade enorme quando o projeto era finalizado.

Em completo a esse projeto, caso faça-se necessário, é possível utilizar o corte como forma de visualizar o espaço. Principalmente, espaços com volumes complexos, planos inclinados e outros que podem ser resolvidos simplesmente pelo uso dessa técnica.

Le Corbusier fazia uso do corte ainda no inicio de seus projetos para explicar como os espaços conseguiam se relacionar entre si.

E por fim, é possível utilizar também o 3D como ultimo recurso. Alguns conceitos são tão complexos que sem o uso do 3D é praticamente impossível ter um bom entendimento de como o projeto será.

Frank Gehry é incrível ao conseguir visualizar e passar para os seus croquis toda a ideia de 3D em seus projetos. Porém, leigos e até mesmo arquitetos menos experientes podem sentir dificuldades ao entender as intenções e comunica-las a outras pessoas, como faz Gehry.

6) Maquetes

A maquete ainda é utilizada como mais um recurso que nos ajuda a entender como as ideias se comportarão no mundo real. Alguns professores ainda se utilizam da técnica pois em uma maquete é dificil improvisar ou deixar algum ponto mal resolvido.

Hoje temos o auxilio de programas como o Sketchup e vários outros para criar maquetes eletrônicas e vai por mim elas facilitam muito a vida do arquiteto quando o assunto é criação de projetos.

Se você por acaso quiser aprender mais sobre Sketchup e fazer maquetes eletrônicas incríveis, conheça o nosso curso completo dá clica aqui!

7) Faça cálculos!

Depois de entendidos os pontos do projeto, desenhos e quaisquer outros detalhes, é necessário que se façam cálculos para todas as necessidades como hidráulica, elétrica, telefônica e outras estruturas. Muitas vezes, um especialista deve se fazer presente para verificar todos os pormenores do projeto.

Os valores precisam ser somados ao custo do projeto de arquitetura e enviados ao cliente.

8) Aprovação da prefeitura

Com tudo isso pronto, chega a hora de solicitar a aprovação da prefeitura que cederá o direito de construir. Após todos esse processos, é possível que se inicie a construção com profissionais qualificados em cada área específica.

Como você pode ver, cada etapa de um projeto é importante para a realização de um sonho. E lembre-se que estar atento a essa parte do processo antes da construção, pois isto vai tornar o seu trabalho muito mais fácil.

 

Comentários